Como anda a vida sem mim?

E como andam os copos depois de terem sentido sua boca?

Como respiram as flores depois de terem sentido seu aroma?

Como o piso ainda sobrevive depois dos seus passos tortos?

Como anda aquela atendente que te olhava tanto?

Como anda aquele prato que você sempre pedia?

Como anda a vida meu garoto?

Como anda a jaqueta que você me emprestou naquela noite fria em que eu não trouxe casaco?

Como anda o frio pra você?

Como anda aquela pizzaria que a gente discutiu por coisa boba e confundiu a atendente?

Como anda aquele carro depois da nossa marca de suor no vidro?

Como anda essa sua voz tão distante agora pra mim?

Como andam as coisas meu garoto?

Como andam os passos que não acompanho mais, os sorrisos que eu não causo, os ciúmes que eu não provoco, os momentos que eu não faço parte?

Como vai essa vida sem mim meu garoto? Como anda essa alma?

Eu quero saber como andam as coisas, mas talvez seja melhor continuar a perguntar sem as respostas. Porque no fim, não quero só saber como você anda e sim, quero saber com quem anda e se, anda como eu gostaria que tivesse andado comigo.

Anúncios