Como anda a vida sem mim?

E como andam os copos depois de terem sentido sua boca?

Como respiram as flores depois de terem sentido seu aroma?

Como o piso ainda sobrevive depois dos seus passos tortos?

Como anda aquela atendente que te olhava tanto?

Como anda aquele prato que você sempre pedia?

Como anda a vida meu garoto?

Como anda a jaqueta que você me emprestou naquela noite fria em que eu não trouxe casaco?

Como anda o frio pra você?

Como anda aquela pizzaria que a gente discutiu por coisa boba e confundiu a atendente?

Como anda aquele carro depois da nossa marca de suor no vidro?

Como anda essa sua voz tão distante agora pra mim?

Como andam as coisas meu garoto?

Como andam os passos que não acompanho mais, os sorrisos que eu não causo, os ciúmes que eu não provoco, os momentos que eu não faço parte?

Como vai essa vida sem mim meu garoto? Como anda essa alma?

Eu quero saber como andam as coisas, mas talvez seja melhor continuar a perguntar sem as respostas. Porque no fim, não quero só saber como você anda e sim, quero saber com quem anda e se, anda como eu gostaria que tivesse andado comigo.

Anúncios

Eu não quero ser vazia

Ao som de Sia – Alive

Vazia, vivo em lugares cheios. Vazia me sinto, vazia me vejo, vazia me reconheço. Eu sou vazia, mas é de padrões. O Padrão é jogar, é reter sentimento, é segurar uma mensagem, é não admitir que chorou, é postar qualquer coisa em qualquer lugar, é competir e ganhar sem nem precisar se encantar . Os padrões me deixam de saco cheio.

Eu saio nas noites de frio pra esquentar a alma, e nas de calor pra refrescar o coração.
Eu encho os copos pra relaxar os músculos, expor sentimentos, ligar para pessoas que eu quero ouvir a voz, dizer frases que sempre ficam escondidas, dançar a coreografia que me faça feliz, conversar com pessoas nas quais eu simplesmente sinta afinidade pra isso e falar algumas babaquices também, porque eu sou de verdade e não quero ser perfeita, eu quero ser inteira, inteira de erros e acertos, mas inteira.

tumblr_static_tumblr_mq5bsj080n1ry8h9po1_500
Você já parou pra repensar na sua felicidade? Já perguntou se você é feliz? Não pelas coisas que conquistou, mas pela pessoa que se tornou? Já tirou a sua espiritualidade dos livros e versículos e aplicou no ser humano? Quem é você diante de um outro?
Você é feliz porque conquistou tudo o que desejava? Então você não é feliz, você é satisfeito. Eu não sou uma pessoa feliz, porque ninguém é. Eu busco minhas melhores emoções todos os dias, eu esbarro em gente cruel, mas eu também esbarro em gente doce, eu esbarro em tudo o tempo todo, é que eu sou distraída de mente e de alma.

Eu tenho minhas armaduras, que eu tenho usado muito para as defesas, já que os ataques deixaram algumas cicatrizes, mas eu sou guerreira, tenho uma espada de esperança que eu tento todos os dias deixar novinha em folha para a próxima luta.
Eu tenho sentimento de sobra, tenho um mundo de sonhos pra tentarem destruir e não conseguirem, tenho muitos copos pra encher e muitos pra esvaziar, eu tenho coração e alma pra enfrentar o que for preciso e quando tudo der errado, eu ainda vou ter muita esperança e força pra enxugar as lágrimas e levantar de novo.

Eu não sou vazia, vazios são seus padrões.

Ela é de Aquário

Não é por mal que ela desaparece.

Se parece que ela não se importa: isso não é, necessariamente, verdade. Em alguns casos, é. Mas normalmente o que acontece é que ela, cheia de dúvidas e anseios e mergulhada até o pescoço em tudo o que não consegue resolver, prefere erguer as sobrancelhas e mudar de assunto. Às vezes dói. Pra ela, na verdade, dói sempre.

Ela não consegue ver o todo. Se apega aos detalhes. Checa. Verifica. Cutuca e analisa até ficar irritada com a sua própria mania de não ficar na superfície. Às vezes gostaria de não afundar, mas não consegue. O abismo, o buraco, o mar, a correnteza – todas essas coisas lhe são caras e atraentes e ela prefere morrer nos braços das sereias do que só molhar o pé na areia.

Se preocupa tanto que não sabe se as bolsas sob os olhos são por conta das dificuldades pelas quais passa aquele amigo de longa data, ou por medo de acordar e descobrir que o mundo acabou em napalm, ou por medo do que mora dentro dela e que ela nunca quer ver sair de novo. Tem receio de se perder (e não percebe que é perdida por natureza – torta das ideias, coitada).

mulher_na_agua_3d_d4549c41fe08825be5bbf2c9bae5e637_mulher_na_agua_3d

Coleciona besteiras. Papéis antigos, embalagens coloridas, bitucas de cigarro. Apega-se aos que passaram pela sua vida com um amor tão avassalador que nunca pede para que eles voltem. Acredita que são lindos mesmo quando estão do outro lado do mundo, e quer que permaneçam lá se estão bem. Ela os quer bem, no final das contas – até tenta guardar rancor, mas tudo passa. Tudo é inconstância, delírio, adeus. Segura o que precisa segurar. O resto, joga ao vento.

Tem mania de dizer o contrário, e pode trocar de lado no meio da conversa porque ou quer te provocar ou porque, realmente, sabe que eu nunca pensei nisso? É orgulhosa até o momento em que não precisa ser mais. Reconhece. Aceita. Às vezes se morde um pouco, quebra um vaso na parede, arrebenta um souvenir, mas: reconhece. Aceita. Se recusa quando precisa e não foge. Foge. Foge demais porque quer ser passarinha (e às vezes ela pensa que já passou da idade de querer qualquer coisa assim).  Muda. É uma pessoa nova quando acorda, outra diferente quando vai dormir.

Beija as mãos que lhe estendem porque acha que amor tem que ser dado assim: na palma aberta, para cima, em oferenda. Em doses que escorrem pelos dedos. Não quer nada que caiba dentro de um punho fechado.

Ela não sabe onde cabe. Às vezes, não cabe.

J. Del Rosso (Texto Original em JáFoste)

Hoje é seu dia

fotografia-feminismo-liora-k_0

Não transe.
Não beba.
Não fale.
Não discuta.
Não use essa roupa.
Não sente desta maneira.
Não deixe os pelos crescerem.
Não corte o cabelo tão curto.
Não fale palavrão.
Não pratique esportes.
Não opine.

Mas, hey, sorria! Hoje é seu dia.

Seu dia, vadia. Promíscua. Bruxa. Vagabunda. Safada. Vitimista. Culpada. Puta. Burra. Fraca. Inferior. Cachorra. Feminazi.

Mas, hey, hoje é dia de alegria!

Alegria pra você, que foi guilhotinada. Queimada. Calada. Mutilada. Trancada. Estuprada. Oprimida. Abusada. Assediada. Mal-tratada. Privada.

Mas, hey, toma aqui uma flor!

Sorria.

E engula a dor.

(Petra Pinheiro)

Era pra eu ser feliz sem você

Quando eu resolvi partir eu sabia que todas as suas promessas de mudanças não iam se cumprir comigo, é como se você fosse uma bateria viciada onde não importa se mudamos a tomada, o plug ou qualquer coisa, você ainda estaria descarregando rápido e me deixando em off na sua vida.
Você logo encontrou alguém pra fazer tudo diferente, pra tornar sorrisos reais e momentos únicos, você ta aí… De bateria nova e cheio de energia.

Se eu estou chateada por isso? Não, entenda bem, eu sempre quis a sua felicidade e fiquei contente em saber que alguém conseguiu te fazer bem. O que me deixa chateadamente indignada é que por tudo o que sofri, por tudo o que aguentei e me rendi, quem não é feliz sou eu. É como se todas cargas ruins que estavam te impedindo de carregar tivessem sido transmitidas pra mim. Eu queria uma explicação do universo do porque você me me fez tão mal e pediu tantos perdões e quem recebeu o castigo da solidão foi eu?

Eu não sei se você lembra meu bem, mas eu era alguém com disposição de amor, alguém que se doava além da própria definição de se dar para alguém. Eu era viva e era completa quando tinha você ali comigo, só em presença mesmo, não precisava de mais nada, não precisava de jardim florido, cinema romântico ou surpresa depois do trabalho, eu precisava de você e me sentia mais que satisfeita em te ter do meu lado, meu mundo era completo com coisas simples, coisas simples que você não soube absorver e foi me deixando sozinha, completando o que faltava de você em mim com ilusões de que as coisas ainda iriam melhorar.

Jogar a toalha não foi tão fácil, mas a gente cansa e a minha toalha já estava velha, gasta e molhada de tanto enxugar solidão e meu coração já tava machucado demais pra tentar de novo. Eu resolvi desistir porque até as forças pra partir já estavam sumindo e eu não podia deixar isso acontecer. Eu sempre tive certeza de que você me amava, você só não sabia lidar com o amor, receber algo tão bonito e só aprendeu quando eu fui embora.

Processed with VSCOcam with c1 preset

Hoje eu carrego mágoas, dores e traumas que talvez nunca sumam, hoje eu sou desconfiada, arisca e desgovernada, hoje eu sou alguém que eu não queria ser, sou o efeito das energia erradas que você descarregou sobre mim, hoje eu não deixo as pessoas se aproximarem e não consigo fazer diferente, hoje eu olho o que restou de mim e sei que no fundo ainda tenho coisas boas pra oferecer a alguém, elas só estão encapadas pelo medo de dar tudo errado de novo, e eu vou te confessar que eu não aguento outra dessa não viu.

Se eu pareço alguém que não compreende me perdoe, mas não é justo que eu tenha passado por cima de tanta coisa e ainda tenha recebido as consequências dos erros que você cometeu, não é justo que você tenha tido a chance de mostrar o amor da sua melhor forma para outra pessoa e eu não pude ter sequer a minima chance de receber algo parecido.

Hoje eu agradeço o fato de não sentir mais nada por você, e isso me dá a certeza de que eu tentei até o fim, e quando chegou a hora de partir, já não havia mais o que fazer.
Eu desejo a minha felicidade pra ter certeza de que o amor ainda é a solução, pra poder ensinar e olhar pra frente tendo a certeza de que tudo valeu a pena, eu desejo escrever uma carta diferente um dia, dizendo que eu tive a oportunidade de ter momentos raros e simples ao lado de alguém que seja realmente importante pra mim tanto quanto eu vou ser pra essa pessoa.
Eu desejo ter a chance de sentir um pouco do que senti com você sem ter que sofrer o tanto que sofri por você, porque acredite em mim, todas as lágrimas derramadas não valem os resquícios de sentimento que você deu.

A noite passada foi longa

wpid-wp-1447122173048.jpg

Choveu na noite passada, o asfalto refletia uma lua distante e sozinha! Eu quase escorreguei no chão molhado, eu quase esqueci que você existia.

Fez frio a noite passada, o vento insistia em congelar meu rosto mais do que meu coração e secar as lágrimas que só não eram maiores do que a chuva.

Eu andei mais do que devia noite passada, meus pés não doíam tanto quanto minha mente, mas eu precisava de dores diferentes.

Eu bebi demais a noite passada, é que eu queria cair nos braços de alguém, mesmo que fosse pelo efeito do teor alcóolico. E eu cai, mas tudo que me acolheu foi o abismo de estar só mesmo que com alguém.

Eu perdi uma ou duas horas com um carinha noite passada. Ele era bem humorado, mas pra mim era chato, ele era inteligente, mas pra mim era nerd, era seguro, mas pra mim era metido, era gentil, mas pra mim era mole, tinha pegada, mas pra mim era ousado demais, ele era o cara perfeito, mas pra mim não era você.

A noite passada foi longa!

Dez

Soprei seu nome 10 vezes,

Pensei em você de 10 em 10 minutos,

Insultei você com as 10 maiores ofensas,

Enterrei minhas esperanças 10 palmos abaixo

E nada adiantou, ainda sou 10 vezes mais sozinha.

Das 10 coisas mais bonitas de um sentimento você estragou todas.

Das 10 esperanças mais bonitas de um coração eu não tenho mais nenhuma,

Hoje é dia 10.  São 10 linhas.

E não é a toa que 10 termine com zero,

Porque no fim, o que vem de você é tão vazio quanto nada.